terça-feira, 28 de outubro de 2014

O teatro das máscaras na vida real



Depois de quatro, cinco anos na faculdade, de alcançar uma certa maturidade e pensar em construir alguma coisa na vida, você se vê tendo que enfrentar o mercado de trabalho. Todo mundo, sem exceções, passa por isso. Todos dentro das devidas proporções, é claro. Uns não tem condições de estender estudos (ou até de estudar) e começam mais cedo... outros um pouco mais tarde. O fato é que um dia todos tem que encarar a labuta.

Existem duas categorias bem distintas no mercado de trabalho, a grosso modo: chefe e subordinado, ou em alguns casos, dono e empregado. Poucos são chefes ou donos; muitos são empregados ou subordinados. E dentro da categoria dos empregados ou subordinados, existe uma classe muito perigosa: a dos gananciosos, que tem outras definições, como baba-ovo, mas que particularmente eu prefiro chamar de, são os que amargam seu chopp. Claro que não estão sempre presentes, mas em grande parte das organizações eles batem o ponto junto com você.

Ele está lá! Diz que é seu amigo, almoça contigo todo dia, mas também tá sempre de olho no seu desempenho e morre de medo que você tenha algum destaque. O filho da puta nunca vai ficar feliz por você, mas sempre vai demostrar estar contigo. Ele nunca vai se manifestar na sua frente, sempre vai agir pelas suas costas. Este tipo miserável e desprezível de ser humano, que sempre é aquele que fala dos valores, que faz tudo pelo próximo, que é de indiscutível reputação... o que se gaba por ser bonzinho... este é o verdadeiro fdp.

Eu tenho aversão a pessoas com excesso de boa vontade, principalmente a "boa vontade verbal", a legendária "fé sem obras". E por observação já percebi que em sua maioria são grandes “fdp”. São eles que vão tentar te atropelar. São os donos da faca que vai penetrar no seu pulmão.

Certa vez, um professor na faculdade me disse que você nunca pode ser "100%" no trabalho. Ele disse que temos agir entre 60% e 70% da nossa capacidade, com picos esporádicos de 90%. Um exemplo um tanto estranho, e que eu discordava. Até começar a lidar com o “fdp”. Maldito “fdp”!


Meu caro leitor, tenha cuidado com as pessoas. Policie-se e fique de olho em tais tipos. Amigos de verdade dificilmente serão seus amigos de escritório. Mesmo porque, quando entra dinheiro ou poder em qualquer jogo, os princípios ficam em segundo plano. E ter princípios é fundamental pra que um ser humano respeite o próximo e a si mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário